Notícias

Pesquisas revelam 5 apostas para o mercado na próxima década

Centenas de projetos de pesquisas hoje em andamento nas principais instituições e universidades da região de Campinas apontam fortes tendências de mercado e sinalizam novos comportamentos sociais. O presidente da Fundação Fórum Campinas Inovadora e vice-presidente Comercial e de Desenvolvimento de Negócios do CPqD, José Eduardo Azarite, destaca 5 principais linhas de pesquisa que as empresas e empreendedores devem estar atentos para se adaptarem a mudanças significativas previstas para um futuro bem próximo. Confira:

InovaCampinas 2016

José Eduardo Azarite, presidente da Fundação Fórum Campinas Inovadora

1 – Inteligência artificial na coleta e análise de dados

A inteligência artificial, um ramo da ciência da computação, tem sido empregada na análise de dados encontrados em perfis cadastrados em diferentes fontes, incluindo aplicativos de celular. Considerando os Apps uma ferramenta já integrada e de uso comum na sociedade, tanto pelas pessoas quanto pelas empresas, muitas pesquisas vêm sendo feitas nesta área. Hoje tem sido realizado um trabalho muito forte no que chamamos de “ciência dos analytics”, estatísticas geradas a partir dos dados coletados em diferentes bases, como por exemplo, os perfis de navegação na internet ou de usuário de produtos ou serviços – seja enquanto cidadão, consumidor ou membro de um grupo. Por isso, há muitas pesquisas voltadas para desenvolvimentos de soluções baseadas ao machine learning – máquinas que aprendem por meio de algoritmos sofisticados. As empresas devem estar muito atentas a esse grande mecanismo que é a inteligência artificial, cuja tendência é ser cada vez mais desenvolvida e aplicada. A riqueza do futuro estará na inteligência de dados e a Internet das Coisas (IoT), fatores preponderantes e determinantes na obtenção e tratamento da informação.

2 – Sustentabilidade como prioridade

Tudo o que diz respeito à poluição e ao meio ambiente tem sido olhado de forma muito criteriosa. Há autores que dizem que daqui a sete ou dez anos não haverá mais nenhum veículo movido exclusivamente à gasolina. Os combustíveis fósseis estão em desuso pela significativa participação e responsabilidade na poluição do mundo. Dessa forma, o desenvolvimento de medidas alternativas para locomoção está sendo priorizado, entre elas, as energias renováveis, como eólica e solar. As empresas devem estar atentas à esta tendência a curto prazo e criar medidas alternativas para viabilizar tanto a sua produção ou adequar o seu produto a esse novo cenário que está bem próximo.

3 – Aumento da expectativa de vida

A expectativa de vida está aumentando de forma significativa, o que impacta diretamente em uma mudança de comportamento da sociedade. As empresas devem estar atentas à longevidade da população, cujo cenário influenciará áreas estratégicas como biociências e biotecnologias, assim como diversos outros segmentos que terão que se adaptar a um novo perfil de consumidor, por exemplo. Para se ter uma ideia, há uma pesquisa em andamento onde uma empresa está criando mecanismos para trazer à vida, 20 mortos. Claro que isso pode ser só uma tentativa, mas mostra uma tendência muito forte das empresas em desenvolver novas tecnologias que contribuam para que as pessoas vivam mais e com qualidade. Além disso, o grande desafio das empresas será se adaptar para absorver de forma sustentável esse novo perfil de profissionais que estará ativo no mercado de trabalho e com impactos significativos sob o ponto de vista econômico e social.

4 – Era do compartilhamento

Vemos negócios que estão com sérios problemas por não conseguirem se adaptar à era da economia compartilhada. Temos como um bom exemplo: o Airbnb que, sem nenhum imóvel construído, tem mais unidades de hospedagens disponíveis do que a rede de hotéis Hilton – uma das maiores do mundo. Podemos afirmar que haverá negócios que serão extremante afetados por essa nova tendência de comportamento, cuja geração atual se identifica e é adepta. Vivemos hoje uma consciência maior de compartilhamento e de menos consumo, um movimento que impacta profissões e negócios que serão extintos e criados. Para se ter uma ideia, há uma pesquisa que aponta que mais da metade das crianças de hoje vai seguir carreiras que ainda não existem, o que mostra uma mudança significativa nos modelos de negócios e produtos que vemos atualmente.

5 – Mão de obra substituída por robôs

O uso da robótica é uma tendência forte que estamos chamando de “revolução industrial”. A robótica melhora em muito a produtividade na indústria, no campo, na medicina etc, e está cada vez mais sofisticada. No entanto, os robôs substituem pessoas, cujo impacto dessa mudança na sociedade deverá ser significativo. As empresas e a sociedade de modo geral devem estar atentas a isso, tanto na absorção e integração da mecânica de precisão para melhorar a produtividade quanto no novo comportamento que isso irá gerar no mercado de trabalho. A robótica, associada à Inteligência Artificial, é fator chave na transformação de hábitos da sociedade, de maneira de viabilizar novos negócios e na criação ou destruição profissões.

Gostou do conteúdo? Fique ligado nas novidades do InovaCampinas.

Cadastre seu e-mail no formulário ao final da página e receba a nossa newsletter 🙂

Curta a nossa página no Facebook e fique por dentro das novidades 🙂

 

Comunicação | Assessoria de Imprensa

Contato: Bruna Mozer

(19) 9 9641.6432

(19) 3521-2556

contato@inovacampinas.org.br

comunicacaoinova@inova.unicamp.br