Palavra do presidente

Em meados de 2015, ao ser convidado para presidir a Fundação Fórum Campinas Inovadora (FFCi), fiquei motivado em poder contribuir efetivamente com a missão de promover o desenvolvimento econômico e social da Região Metropolitana de Campinas (RMC), por meio da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Na ocasião, mapeando sua história, pude observar o esforço institucional empreendido desde que os dirigentes das principais instituições de ensino e pesquisa da nossa região se uniram para traçar estratégias e, assertivamente, provocar transformações conceituais e práticas que pudessem levar ao cidadão a percepção de que, de fato, vivemos na “Região do Conhecimento”. Um lugar onde há férteis oportunidades de acesso ao ensino de qualidade e a um rico ambiente empreendedor.

Desde sua criação em 2002, um dos principais resultados obtidos pela FFCi, foi o processo de credenciamento definitivo dos Parques Tecnológicos de Campinas (Unicamp, CPqD, CTI e Technopark) no SPTec – Programa Paulista de Parques Tecnológicos. A conquista, em janeiro de 2015, teve a colaboração da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social de Campinas e representou uma semente que aproximou as ações estratégicas do Poder Público ao ecossistema de CT&I.

A parceria foi o passo fundamental para que outros “stakeholders” começassem a perceber a relevância da atuação da FFCi como um pilar essencial das ações estratégicas de longo prazo em direção à construção de um ecossistema maduro e reconhecido internacionalmente.

Ao iniciar minha gestão, tive a missão de ampliar a representatividade no Conselho da FFCi. Além das instituições de origem (Unicamp, PUC-Campinas, Embrapa, CATI, CTI, ITAL, IZ, IB, ITAL,CNPEM, CPqD), trouxemos outras que nos levassem a cobrir praticamente todo “PIB” da inovação e empreendedorismo da RMC. Entre elas estão: Ciesp-Campinas, ACIC, Softex, Instituto Eldorado, Instituto Von Braun, Associação Campinas Startups, CIATEC, Technopark, Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social de Campinas e Agemcamp – Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Campinas. Um grande passo dado e concluído!

Atualmente, nossa estratégia está pautada em três principais pilares alinhados à missão da FFCi. O primeiro deles é a criação e manutenção do “Portal da RMC”, uma sofisticada e completa ferramenta de informação de valor para poder público, pesquisadores, empreendedores, investidores, cidadãos etc.

O segundo é oferecer subsídios às políticas públicas voltadas ao uso da CT&I como alavanca para que tenhamos na RMC a essência das cidades inteligentes e humanas. Já o terceiro pilar é a realização, em parceria com a Inova – Agência de Inovação da Unicamp, do maior e mais representativo evento do interior voltado à inovação e empreendedorismo: o InovaCampinas.

Posso testemunhar, sem receio de estar cometendo erro de avaliação, que estamos em um novo patamar de amadurecimento do nosso ecossistema de CT&I. Prova disso foi a imediata aceitação dos novos membros do nosso Conselho para engajar-se com nossa proposta de atuação.

Da mesma forma, tivemos uma ampla adesão ao novo formato do InovaCampinas, cujo foco é chamar a atenção do mundo para que, durante a semana de CT&I que ocorre em outubro, tenhamos uma ampla movimentação nos espaços de inovação da RMC (co-workers, aceleradoras, incubadoras dos Parques Tecnológicos, instituições de ensino e pesquisa).

Por fim, sei que há muito a ser feito, mas acredito que estamos no caminho certo. Tenho a certeza que essa imensa e relevante rede de apoio das principais instituições de Campinas, consolida cada vez mais a cidade como região do conhecimento, inovadora e empreendedora.

– José Eduardo Azarite